Se você está começando no e-commerce, usar um gateway de pagamento talvez não seja a melhor opção. Mas qual a alternativa, então?
Para aprender mais sobre gateways de pagamento, veja o resumo que preparamos e assista a estes 3 vídeos de especialistas, coletados no Youtube.
Em 20 minutos você vai saber tudo sobre o assunto.
Dica: acesse os vídeos e ouça enquanto se desloca para o trabalho ou para casa, na condução ou no carro.
Mas lembre-se: se for dirigir, não assista ao vídeo, só escute! 🚨 🚔

Saiba mais: Sistemas de pagamentos online: para cada negócio, uma solução

Dicas sobre gateway de pagamento e suas alternativas

Antes de te passarmos os 3 vídeos que selecionamos, vale a pena conferir estas dicas rápidas sobre gateways de pagamento:
O gateway de pagamento é um sistema que faz a conexão entre sua loja online (e-commerce, marketplace, SaaS, etc) e os meios de pagamento que você definiu, sejam cartões de crédito, boleto e outros (vamos detalhar isso adiante), providenciando para que os valores das transações sejam depositados nas contas de quem é de direito e nas datas corretas.
Na hora que o cliente clica em “finalizar compra”, ele vai usar o gateway de pagamento ou outras formas, como o intermediador, que é uma modalidade mais simples (e barata para o lojista) de se fazer isso, porém mais complicada para o cliente (tem um vídeo que vai explicar isso melhor, também 😉).

O que pesquisar antes de contratar um gateway de pagamento

Alguns dos itens abaixo serão detalhados novamente nos vídeos, mas achamos interessante você ter estas informações sobre escolha de gateways antes de iniciar o “curso”:

  • Compatibilidade com seu website: foi por isso que falamos que os intermediadores (como PayPal, por exemplo, são mais fáceis para o lojista, pois não necessitam de integrações complexas e trabalhar com desenvolvedores).
  • PCI: é uma espécie de selo de aprovação das operadoras de cartão de crédito que garante que o gateway que você está contratando segue as normas de segurança internacionais.
  • Quais bandeiras e outros meios de pagamento aceita: verifique exatamente a amplitude de formas de pagamento e empresas que você poderá utilizar por meio deste gateway.
  • Serviços de detecção de fraudes: nem todos os gateways de pagamento já incluem este tipo de serviço, na maioria dos casos é preciso contratar em separado.
  • Pagamentos recorrentes e split: pagamentos recorrentes são pagamentos mensais, como de escolas, softwares SaaS e semelhantes. Já o split de pagamentos é a divisão feita, geralmente em marketplaces, entre os diversos envolvidos na transação.

Veja mais informações: Pagamento recorrente: uma venda = diversas entradas, será mesmo?
Depois desta introdução, vamos aos vídeos!

3 vídeos sobre gateway de pagamento (total: 15 minutinhos…)

Dividimos os vídeos em 3 níveis, mas todos eles são importantes, confira:

Iniciante:

É claro que o Igor Senra, co-founder e CEO do Moip (comprada pela empresa alemã Wirecard por R$ 165 milhões), é um grande entendedor deste assunto.
Iniciante, neste caso, se refere ao tom de sua abordagem, para que você comece a entender sobre gateway de pagamento de uma forma mais suave.
Na verdade, fala-se bem pouco de gateway e mais de assuntos introdutórios, para você poder entender mais do assunto nos outros vídeos.
Em suas explicações, Igor trata principalmente destes temas:

  • Meios de pagamento: diferenças entre cartões de crédito (70% do mercado), boletos bancários e transferências eletrônicas.
  • Filiação direta: contrato direto entre vendedor e adquirente ou com o banco.
  • Adquirente: o “dono” da maquininha, como Cielo e Rede, por exemplo, que tem contato direto com as bandeiras e fazem a liquidação financeira dos pagamentos.
  • Gateway: ponte de tecnologia entre o sistema de sua loja e todos os meios de pagamento
  • Facilitador: fazem todo o processo para o lojista virtual, com diversas bandeiras, com um serviço ainda mais completo que o do gateway, pois pode incluir até antifraude, resolvendo tudo isso de uma forma centralizada e simples, garantindo um fluxo de compra mais ágil para o cliente.

Confuso? Assista ao vídeo que passa:

Intermediário:

De novo, o apresentador do vídeo, Eduardo Molter, não tem nada de nível intermediário, apenas a maneira como os assuntos são tratados é que ficou um pouco mais aprofundada.
Eduardo te explica o seguinte, nesses 5 minutinhos:

  • Intermediador: conecta sua loja automaticamente com as adquirentes e com os bancos, processando todos os pagamentos. Seu cliente é redirecionado para a página do intermediador.
  • Gateway de pagamento: você precisa estar filiado diretamente ao adquirente e ter uma conta em um banco. Ele faz a conexão técnica do seu site com as instituições financeiras.
  • Ferramenta de análise de risco: empresas especialistas na gestão de fraudes e riscos que visam prevenir os lojistas de prejuízos advindos dessas práticas.
  • Conversão: no caso de gateways de pagamentos, a conversão final é quando o cliente insere seus dados, com a intenção de comparar, e consegue realizar o pedido. Quanto maior a taxa de conversão, melhor o gateway.

Quer rever estes conceitos e ver muitas outras informações e dicas, como, por exemplo, aumentar sua taxa de conversão no e-commerce?
Assista ao vídeo agora mesmo:

Confira também: Como atrair clientes e receber pagamentos pela internet

Avançado:

Raphael Lassance avança um pouco mais adiante no assunto e traz dicas para te ajudar a definir a melhor forma de gerenciar pagamentos em sua loja virtual, que pode ser um gateway ou não.
Raphael alerta que quem está começando, com pouco volume de vendas e pouco dinheiro para desenvolver as integrações, usar intermediadores pode ser mais ágil, fácil e barato do que implementar um gateway de pagamento.
Porém a experiência de compra é ruim, é preciso ter um cadastro no site de terceiros, muitos popups se abrem e seu cliente é redirecionado, aumentando o “atrito” durante o processo de compra.
Este ponto é muito importante: quanto menos interrupções durante a compra, maior a sua taxa de conversão de vendas!
No Gateway, o processo de compra é muito mais transparente e fluido e o Checkout é simples.
Outra dica abordada no vídeo é a escolha de meios de pagamento, que podem ser vários: Cartão de Crédito, Boleto, Transferência, Débito em conta e até Cartão de Débito.
Lassance adverte que apesar dos Cartões de Crédito serem os mais usados, é preciso adequar seus meios de pagamento ao seu público.
Boletos bancários, por exemplo, são os preferidos das classes C e D, que, em alguns casos, não têm acesso a Cartões de Crédito.
Chega de leitura, assista ao vídeo e veja muitas outras dicas:

Para finalizar a aula, uma listinha 📚 de leituras complementares:

E se você quiser se tornar mestre no assunto, que tal ouvir este PodCast, com o Raphael Lassance tratando de diversos outros temas relacionados ao e-commerce?

raphael lassance - autor podcast - pluguinha

 

Share on twitter
Share on linkedin
Share on facebook
Esse artigo foi útil para você? 😎
Média: 0 / 5

Você também pode gostar

Pra ficar de olho

Desbloqueie os superpoderes das ferramentas que você mais ❤️

Confira os apps mais usados na Pluga e como eles auxiliam o trabalho das equipes. Na lista estão: Pocket; ChatGPT; Google Calendar; Trello, entre […]