Você sabe como administrar sua loja no que diz respeito à gestão financeira do e-commerce?

São tantas decisões a tomar que às vezes pode passar batido verificar como anda a saúde financeira do negócio. Acompanhar as finanças é uma atividade que demanda um tempo de análise financeira da empresa para monitorar as origens e as saídas das suas rendas.

Mas essa atividade não pode ser postergada nunca! 

Imagina uma situação em que você deve fazer, urgentemente, uma grande compra porque seu estoque vai acabar. Ou, então, uma outra situação em que você se depara com defasagem no caixa por conta de uma grande taxa de inadimplência dos seus clientes. 

Fato é que empresas que não conseguem gerenciar o seu próprio dinheiro tendem a performar bem abaixo de seu verdadeiro potencial e, muitas vezes, acabam tendo de encerrar atividades precocemente.

E é justamente para evitar esses imprevistos que todo e-commerce precisa de uma sólida estrutura de gestão de finanças.

Pensando nisso, elaboramos este conteúdo para mostrar 8 dicas de gestão financeira para e-commerce:

  1. Elabore um planejamento financeiro;
  2. Indicadores de desempenho financeiro;
  3. Mantenha suas despesas sob controle;
  4. Faça projeções de ganhos e gastos;
  5. Verifique a sua política de preços;
  6. Monitore o seu estoque constantemente;
  7. Escolha bem os métodos de pagamento;
  8. Invista em um software de gestão financeira em e-commerce.

Convidamos você a continuar a leitura para descobrir como administrar uma loja online e mantê-la financeiramente sustentável e lucrativa.

8 dicas de gestão financeira para e-commerce

Para garantir a rentabilidade do seu e-commerce, você precisa colocar em prática algumas dicas essenciais de gestão financeira. Confira agora quais são elas. 

1. Elabore um planejamento financeiro

Segundo pesquisa da ABComm, no primeiro semestre de 2023 o faturamento das vendas em e-commerce aumentou em 2% quando comparado a 2022. Em valores absolutos a marca foi de 80,4 bilhões de reais.

Com o mercado tão aquecido, pode parecer tarefa fácil gerenciar financeiramente um comércio eletrônico. Afinal, basta você ter um produto ou serviço e uma plataforma online para vendas, né?! 

Errado!

Não há como administrar uma loja online de maneira eficiente sem contar com um planejamento financeiro bem estruturado. Além de todas as demandas que também pertencem ao modelo de comércio tradicional, como por exemplo o atendimento ao consumidor, a gestão da logística, estoque e as responsabilidades tributárias.

A criação deste documento funciona como uma espécie de guia que deve nortear todas as decisões com impacto direto e indireto nas finanças do seu e-commerce. Por se tratar de um mercado mais volátil, o planejamento financeiro ajuda a resguardar a empresa das oscilações econômicas.

É importante que durante o planejamento você defina algumas metas realistas que deseja alcançar. 

Quanto mais atual e completo for o planejamento, maiores as chances do seu negócio atravessar quaisquer dificuldades de forma consciente e fortalecida.

Leia também:

2. Indicadores de desempenho financeiro 

O uso de indicadores de desempenho financeiro é imprescindível para a gestão da sua loja virtual. Por meio dessas métricas, é possível:

  • Mensurar a eficácia das suas estratégias;
  • Realizar análises; e 
  • Identificar oportunidades de melhoria. 

São eles que permitem a comparação entre o faturamento real com o que foi planejado anteriormente.

Agora, tendo esses números definidos, você poderá acompanhá-los por meio de indicadores. Tente escolher métricas que façam sentido para o seu e-commerce. 

Dentre os principais indicadores para a gestão de uma loja virtual, destacam-se:

  1. Taxa de conversão: número percentual que representa quantos visitantes que chegaram a sua loja, em um determinado período, efetuaram uma compra;
  2. Chargeback: indica a quantidade de vendas que foram canceladas após a compra do produto por cartão;
  3. Ticket Médio: aponta qual foi o valor médio de consumo de cada cliente no seu e-commerce;
  4. Customer Lifetime Value: objetivo é avaliar o quanto um cliente vale para sua empresa por todo o tempo que ele se relaciona com o e-commerce;
  5. Custo de Aquisição de Clientes: soma de todos custos e despesas da empresa que são usados para adquirir clientes em um determinado período, dividida pelo número de clientes conquistados;
  6. Retorno sobre o investimento (ROI): percentual que representa o nível de lucro ou o prejuízo na relação entre a quantidade de dinheiro investido em uma ação e o dinheiro ganho como resultado deste investimento .

É importante que você escolha muito bem quais são as métricas que mais se adequam à gestão financeira do seu e-commerce. Até porque caso determine metas irreais isso pode se tornar um desestímulo.

Cuidado, também, para não cair na tentação das métricas de vaidade. Por exemplo: É claro que desejamos que sua loja virtual tenha muitas visitas – e muitas curtidas nas redes sociais.

Mas fica a pergunta: o que valem esses números se sua taxa de conversão não indica um bom desempenho? 🤔

3. Mantenha suas despesas sob controle 

Dando continuidade às nossas dicas de gestão financeira para e-commerce, é muito importante manter os custos operacionais sob controle. 

Você já sabe: até mesmo antes de dar início às atividades do seu e-commerce que os custos já colocam suas garras pra fora. Você precisa custear pelo menos um cadastro no sistema e-INPI, um registro de domínio, emissor de notas fiscais entre outros investimentos. 

Mas esse é apenas o começo. Quando a loja está ativa, entram também diversos custos para manter a operação em dia, além de despesas com o marketing e publicidade para aumentar o conhecimento da sua marca e engajar cada vez mais futuros clientes. 

É importante ter atenção para evitar que os custos sejam superiores à receita que entra no caixa do seu e-commerce, visando sempre aumentar o lucro da empresa.

Para fazer este controle você pode:

  • Usar simples planilhas para organizar suas finanças ou ferramentas mais completa;
  • Elencar quais são seus custos fixos e variáveis, analisando aqueles que podem ser realocados ou descartados;
  • Calcular qual é o capital de giro necessário no mês para que as atividades da sua empresa possam sempre continuar.

Assim, você poderá ter mais tranquilidade para tomar decisões sobre investimentos em novidades ou tecnologias, tornando a sua empresa mais dinâmica e alinhada com as tendências do mercado de e-commerces.

4. Faça projeções de ganhos e gastos 

Outra recomendação para promover uma eficaz gestão financeira consiste em fazer projeções de ganhos e gastos. 

Para você ter ideia da importância dessas projeções, segundo o relatório de Sobrevivência das Empresas do Brasil, um dos principais motivos da inatividade das empresas foram aquelas “que não faziam o acompanhamento rigoroso de receitas e despesas”.

Com base em análises do mercado atual e do histórico do seu negócio, é possível prever as entradas e saídas do seu caixa e, assim, ser mais assertivo em suas estratégias de negócio.

Para te guiar, aqui estão algumas dicas de gestão financeira que podem te ajudar:

  • Atualize regularmente o seu controle financeiro para que você possa ter um panorama das suas finanças mais fidedignas com a realidade da sua empresa;
  • Se atente aos lançamento das receitas parceladas para não ocorrer a duplicação de dados;
  • Descreva detalhadamente quais têm sido as movimentações no seu caixa, sem arredondar nenhum número;
  • Engaje seus atuais consumidores, aqueles que já provaram do seu produto, reduzindo custos para a aquisição de novos clientes. 

E essa dica é uma das mais importantes: mantenha a regularidade. Observando toda a trajetória das entradas e saídas do seu caixa, é possível que você analise como as suas finanças acompanharam o desenvolvimento do seu e-commerce.

Colocando essas dicas em prática, fica bem mais fácil de entender quais decisões foram tomadas corretamente ou erroneamente e, dessa forma, você terá uma visão muito mais clara e segura para desenhar estratégias para o futuro.

5. Verifique a sua política de preços 

Verificar se os preços praticados pela sua loja virtual estão adequados também é uma boa prática de gestão financeira. 

A precificação precisa levar em conta a realidade do seu mercado de atuação, os custos totais para disponibilizar seus produtos para venda e também a margem de lucro que você deseja receber.

Por isso, no momento da precificação, você precisa ter em mente 4 fatores que implicam diretamente no valor de venda do seu produto ou serviço:

  1. Análise de oportunidade;
  2. Análise do público-alvo;
  3. Custos do produto;
  4. Transparência.

Também pode te interessar:

6. Monitore o seu estoque constantemente

O monitoramento do estoque é uma atividade muito importante para qualquer comércio e pode comprometer seriamente o serviço ao cliente e a gestão financeira do e-commerce quando não for controlado. 

Avaliar o estoque “no olho” é uma prática que pode se tornar uma grande armadilha, especialmente quando há grande quantidade de produtos disponíveis. O volume pode enganar.

Ao contrário do que muitos pensam, o estoque se forma para suprir a razão entre o tempo de preparo e de entrega do produto – e o tempo que o cliente está disposto a esperar. 

Então, é importante que você perceba que se basear na quantidade de produtos estocados pode causar uma falsa impressão de que há produtos o suficiente armazenados.

No vídeo abaixo você confere como controlar seu estoque de forma automatizada, para nunca mais ter problemas com falta ou excesso de estoque. É só dar o play!

7. Escolha bem os métodos de pagamento

Quando falamos em gestão financeira para e-commerce, não podemos deixar de mencionar os métodos de pagamento utilizados pela loja virtual. Afinal, a entrada dos pagamentos não é necessariamente instantânea e as plataformas de recebimento podem ser várias.

Para que se possa oferecer diferentes opções para os seus clientes (débito, crédito, boleto bancário, PIX), é necessário se atentar ao gateway de pagamento ideal para a sua loja.

A plataforma escolhida deve ser a mais vantajosa em termos de taxas e gestão dos pagamentos, além de favorecer a experiência de compra dos clientes. Além disso, uma vez que as transações são em ambiente virtual, é muito importante prover um suporte seguro para que seus clientes confiem na sua empresa.

8. Invista em um software de gestão financeira para e-commerce

Encerrando as nossas dicas de gestão financeira para e-commerce, procure investir em um software especializado em finanças. Esse tipo de sistema vai automatizar uma série de tarefas, gerar relatórios completos e otimizar a análise de indicadores importantes.

Existem diversos softwares financeiros excelentes para você usar em seu negócio. Adotando essa ferramenta, você terá mais controle das suas finanças, em um lugar único e seguro. 

Além disso, é essencial que você separe suas finanças pessoais e da sua loja virtual para não interferir e desestruturar a gestão financeira do e-commerce.

Um software de gestão financeira te permite acompanhar a evolução do fluxo do seu caixa, possibilitando que você tome decisões mais certeiras para investir seus recursos em ações que só farão seu e-commerce crescer mais.

Integre ferramentas e dê um UP na gestão do seu e-commerce

Como mencionamos anteriormente, um software de gestão financeira já é um grande aliado na organização do seu negócio. Mas, sabia que dá para deixar essa ferramenta ainda mais poderosa?

Integrando-a com outras ferramentas é possível automatizar diversos processos que vão além das finanças. E, usando a Pluga, você consegue fazer isso com agilidade e sem precisar digitar uma única linha de código.

Veja alguns exemplos de automatizações prontas para serem realizadas:

Para não se esquecer!

Quais as principais dicas de gestão financeira para e-commerce?

Elabore um planejamento financeiro; Utilize indicadores de desempenho financeiro; Mantenha suas despesas sob controle; Faça projeções de ganhos e gastos; Verifique a sua política de preços;
Monitore o seu estoque constantemente; Escolha bem os métodos de pagamento; Invista em um software de gestão financeira em e-commerce.

Como automatizar a gestão financeira do e-commerce?

Utilizando a Pluga para integrar o seu software de gestão financeira com outras ferramentas é possível automatizar diversos processos que vão além das finanças.

Share on twitter
Share on linkedin
Share on facebook
Monelle Mensah

Marketing

Esse artigo foi útil para você? 😎
Média: 5 / 5

Você também pode gostar

Novidades de Produto

Desbloqueie os superpoderes das ferramentas que você mais ❤️

Confira 4 opções de integração Omie ERP via Pluga: gestão de estoque; Pagamentos e faturas; Status do cliente e Comunicação interna. […]