Como fazer controle financeiro de empresas? Um guia prático para sua gestão

como fazer controle financeiro

Quem nunca deixou aquela tarefa mais chata para depois? Agora, quando essa função é muito necessária, como o controle financeiro empresarial por exemplo, é importante que ela não seja deixada para depois.

Entender como fazer controle financeiro de um negócio é uma tarefa fundamental para garantir a saúde financeira da empresa. Afinal, sem um controle efetivo, fica difícil: 

  • Saber para onde está indo o dinheiro;
  • Identificar as despesas desnecessárias; e 
  • Planejar o futuro da empresa de forma estratégica. 

Para te ajudar nessa missão, preparamos um conteúdo completo onde você entenderá tim tim por tim tim de como fazer controle financeiro empresarial de um jeito mais simples.

Vamos lá!?

O que é controle financeiro empresarial?

Antes de compreender como ter um controle financeiro eficaz na sua empresa, você sabe o que é, de fato, este tipo de gestão? Basicamente se trata de medidas para analizar, monitorar e prever a situação financeira da empresa. 

Neste sentido existem 3 tarefas básicas para que se atentar nessa administração do dinheiro da empresa. São elas:

  • Gerenciamento do caixa;
  • Saber quanto a empresa vale;
  • Conseguir fontes de capital para investir em seu negócio.

O objetivo principal de realizar esse gerenciamento financeiro empresarial é zelar por questões como liquidez, capacidade de pagamento, possibilidade de conseguir crédito e a probabilidade de alocação dos recursos financeiros.

Também pode te interessar:

Importância do controle financeiro em uma empresa

Manter o controle financeiro é fundamental para garantir o equilíbrio do caixa de uma empresa, evitando surpresas na gestão do negócio — ou até mesmo a sua inviabilidade. Conhecer a real situação das finanças permite que a pessoa empreendedora saiba tomar as decisões certas. 

O controle financeiro serve para verificar se o planejamento da empresa está sendo seguido corretamente. Caso contrário, é possível saber quais são as medidas necessárias para corrigir algum erro.

Confira abaixo uma live feita pelo Sebrae sobre como a educação financeira impacta na condução dos negócios. É só apertar o play!

Como fazer controle financeiro de uma empresa? 7 passos práticos

Até aqui você já entendeu os principais motivos para realizar um controle financeiro nas empresas. Mas agora vamos direto ao assunto que te fez chegar até aqui: como fazer controle financeiro empresarial com praticidade?

Separamos os 7 passos para começar a aplicar aí no seu negócio. São eles:

  1. Registre todas as entradas e saídas de dinheiro;
  2. Classifique as despesas;
  3. Estabeleça um orçamento; 
  4. Acompanhe o fluxo de caixa;
  5. Faça uma análise de rentabilidade;
  6. Analise as projeções financeiras;
  7. Automatize o controle financeiro.

Confira a seguir os detalhes de cada um deles.

1. Registre todas as entradas e saídas

O primeiro passo para conseguir controlar as finanças é registrar tudo o que entra e sai de dinheiro da empresa. E quando a gente diz tudo, é tudo mesmo!

Muitas vezes o descontrole financeiro começa quando acreditamos que uma pequena compra não irá impactar no montante final. Então lembre-se de ter tudo muito bem registrado em um local de fácil acesso, usabilidade e controle.

Nesses casos é sempre recomendado utilizar alguma planilha para controlar as finanças com mais organização. Além disso, utilizando esse tipo de ferramenta será possível automatizá-la o que faz com que erros sejam evitados. 

Explicaremos como deixar esse controle financeiro automatizado mais para frente. 

2. Classifique as despesas e custos

Uma etapa que anda junto com o registro do que entra e sai de dinheiro é a de classificação dessas despesas e custos. É importante criar grupos para que se entenda perfeitamente de onde sai mais dinheiro.

Com isso será possível analisar os gastos mais necessários e aqueles que podem ser evitados. Ah! É importante lembrar também que se evite a criação do grupo “outros” pois com isso não saberá exatamente qual tipo de gasto está sendo feito.

Entenda mais sobre essa classificação de despesas e custos no vídeo abaixo.

3. Estabeleça um orçamento

Compreendendo as entradas e saídas, mais os custos e despesas é hora de estabelecer um orçamento para que o seu negócio funcione plenamente. Isso ajuda a ter uma melhor noção de gastos que podem ser cortados.

Fazendo um orçamento anual, por exemplo, despesas mensais consideradas “insignificantes”, se transformam em um montante que merece atenção em um ano.

Uma boa maneira de fazer esse acompanhamento é com uma planilha de controle financeiro. Assim, será possível acompanhar todas as despesas de cada mês e compreender se o orçamento anual é realista ou não.

4. Acompanhe o fluxo de caixa

Na mesma planilha de controle finaceiro que anotou as despesas gerais da empresa, é importante realizar também o fluxo de caixa. Neles, além das despesas, é preciso colocar suas receitas também.

Confira no vídeo abaixo como realizar um fluxo de caixa eficiente. 

5. Faça uma análise de rentabilidade

Em um controle financeiro empresarial é necessário verificar sempre se os produtos ou serviços oferecidos estão gerenado lucro para a empresa e quais são os mais rentáveis. Fazendo essa análise de rentabilidade, é possível tomar decisões estratégicas para melhorar a performance financeira do seu negócio.

Para que todo esse processo aconteça de maneira eficaz, algumas ações precisam ser feitas, como:

  • Identificação e organização de todos os produtos ou serviços oferecidos pela empresa;
  • Registro de todas as receitas geradas por cada produto ou serviço;
  • Identificação de todos os custos envolvidos na produção de cada produto ou prestação de cada serviço;
  • Subtração dos custos das receitas de cada produto ou serviço para obter o lucro gerado por cada um;
  • Classificação dos produtos ou serviços por ordem de rentabilidade, do mais rentável para o menos rentável;
  • Identificação dos produtos ou serviços que geram maior lucro e os que geram prejuízo;
  • Acompanhamento regular dos resultados da análise de rentabilidade.

Realizando esses passos regularmente a identificação de oportunidades de crescimento ficam mais aparentes. Além, de ser um mecanismo para que a empresa sempre ofereça produtos ou serviços que gerem lucro.

6. Analise as projeções financeiras

Os três passos anteriores (rentabilidade, fluxo de caixa e orçamento) serão muito importantes para que seja possível fazer uma análise de projeção financeira. O motivo é que é a partir desses números que será possível fazer uma projeção da situação financeira da empresa no futuro.

Para que essa projeção seja bem feita é preciso levar em consideração alguns fatores, como: 

  • Dados históricos da empresa;
  • Previsões do mercado;
  • Mudanças na legislação. 

É importante também atualizar as projeções regularmente, para que reflitam as mudanças na realidade da empresa e do mercado.

7. Automatize o controle financeiro

Por último, mas longe de ser o passo menos importante, está a automatização desse controle financeiro. Isso pode ser feito utilizando softwares de gestão financeira, alguns exemplos são:

  1. Conta Azul;
  2. Omie ERP;
  3. Nibo;
  4. Granatum Financeiro;
  5. Tiny ERP.

Ah! E os processos que andam em conjunto com o financeiro de uma empresa também podem ser automatizado.

Como? Integrando esses softwares a outras ferramentas. Entenda mais sobre o assunto no vídeo abaixo.

Como os impactos financeiros afetam na produtividade de uma empresa?

Agora que já entendeu como fazer controle financeiro empresarial existe um outro aspecto que pode indicar o sucesso ou a decadência de uma empresa. O comprometimento com o bem estar das pessoas que colaboram com o negócio.

O equilíbrio entre a vida pessoal e profissional é algo indispensável para que bons índices de produtividade possam ser alcançados. Nada atrapalha mais esse balanço do que descontrole financeiro. 

Empresas que abordam essas questões de perto podem elevar, e muito, o desempenho dos seus colaboradores. Afinal, a pessoa que passa por esse tipo de impacto financeiro sente uma tremenda instabilidade emocional, perde a confiança e a produtividade no trabalho acaba sendo comprometida.

Algumas ações que podem ser tomadas nessas situações são:

  1. Oferecer suporte e aconselhamento financeiro;
  2. Fornecer flexibilidade no trabalho;
  3. Proporcionar benefícios financeiros;
  4. Incentivar a educação financeira;
  5. Criar um ambiente de apoio;
  6. Estabelecer um canal de comunicação

É válido citar que a empresa não irá resolver todos os problemas financeiros de cada pessoa, mas ela pode cumprir esse papel de parceria e ajuda.

Integre ferramentas e automatize seu controle financeiro

Lembra que comentamos anteriormente sobre automatizar ainda mais o seu controle financeiro? Com a Pluga é possível deixar tarefas manuais e até chatas no automático.

Imagine só, em vez de ter que preencher cada entrada a mão, toda vez que seu meio de pagamento aprovar um recebimento, ele fosse automaticamente incluído em sua planilha decontrole financeiro?

Este é apenas um dos muitos exemplos de automatizações que você pode fazer integrando as ferramentas que usa no seu dia a dia. E o melhor, sem precisar digitar uma única linha de código.

Confira abaixo algumas das automações prontas para usar:

Para não se esquecer!

Quais são os 7 passos para o controle financeiro?

Registre todas as entradas e saídas de dinheiro; Classifique as despesas; Estabeleça um orçamento; Acompanhe o fluxo de caixa; Faça uma análise de rentabilidade; Analise as projeções financeiras; Automatize o controle financeiro.

Como automatizar o controle financeiro empresarial?

Utilizando a Pluga é possível integrar ferramentas financeiras a outras do seu dia a dia e deixar tarefas manuais e até chatas no automático.

Esse artigo foi útil para você? 😎
Média: 4.2 / 5
Share on twitter
Share on linkedin
Share on facebook

Você também pode gostar

Na prática

Desbloqueie os superpoderes das ferramentas que você mais ❤️

Confira 4 opções de integração Omie ERP via Pluga: gestão de estoque; Pagamentos e faturas; Status do cliente e Comunicação interna. […]