Invadindo o espaço outrora exclusivo dos bancos e das instituições financeiras, as startups que desenvolvem projetos de financial technology são o futuro. A ideia por trás dessas empresas é uma só: usar a tecnologia para deixar o seu relacionamento com o dinheiro menos complicado, e para isso, vale reinventar a maneira como pagamos nossas contas, gerenciamos rendimentos e investimos.
Entenda as maiores tendências fintech para os próximos anos no Brasil e veja como cada uma delas pretende tornar sua vida mais fácil.

Sem conta? Sem problema

Um dos grandes mercados a serem explorados pelas fintechs é o da informalidade, que mantém cerca de 53 milhões de brasileiros fora do sistema bancário tradicional. A aposta, nesse sentido, é desburocratizar o relacionamento e colocar à disposição do cliente agências virtuais, não importando onde ele esteja.
Utilizando smartphones e tablets, essas contas bancárias on-line servem para movimentar fundos, realizar pagamentos e até recarregar seu aparelho pré-pago. Com tarifas menores e versatilidade, as contas virtuais podem ser criadas diretamente do seu telefone.

Tendências fintech: pagamentos simplificados

Outra área importante para as startups de financial technology são os pagamentos e as transferências, cujos custos são impactados diretamente pelo tipo de tecnologia utilizado. A infraestrutura de cobrança necessária para o funcionamento de um e-commerce é, em muito, responsável por seu sucesso, sendo capaz de aumentar as taxas de conversão de acordo com sua eficiência.
A brasileira Pagar.me é um exemplo. Em 2014 ela recebeu o prêmio “Best in Show” em Harvard, por inovar no mercado de pagamentos online. No Pagar.me o suporte ao cliente é feito por desenvolvedores e todo pagamento é realizado de dentro do seu site, o que chega a aumentar em até 25% a sua taxa de conversão – tudo isso, em conformidade com as normas de segurança do PCI.

Contabilidade para PMEs

Administrar sua vida financeira nunca foi tão simples quanto com ajuda dessas fintechs. Pequenas e médias empresas têm muito a se beneficiar de estratégias como a do Contabilizei, que pretende ser seu escritório de contabilidade on-line. Sua interface otimiza, dentre outras coisas, a emissão de notas fiscais e o pagamento de impostos.

Crédito para tirar sua ideia do papel

Soluções como as da brasileira F(x) vão além e utilizam a estrutura do sistema bancário, aliada à tecnologia, para tornar seu dia a dia mais tranquilo. A startup disponibiliza uma plataforma de relacionamento entre empresas e financiadores, e viabiliza, on-line, as informações necessárias para que seus clientes façam uma escolha de crédito mais consciente.
Seu algoritmo é capaz de cruzar dados entre proponentes de empréstimo e financiadores, destacando as combinações que oferecem melhores condições.

Consultorias de investimento

Para que as fintechs possam mudar de vez seu relacionamento com o dinheiro, é preciso que ofereçam rentabilidade semelhante a das consultorias de investimento tradicional. As consultorias on-line têm como diferencial trazer os investimentos para mais perto do cliente, não importando quanto cada um está disposto a investir.
Graças aos seus custos operacionais reduzidos e aos algoritmos precisos — que geram ganho em eficiência e diminuem o risco —, elas são capazes de dar a pequenos investidores as opções mercadológicas antes disponíveis apenas para os grandes.

Financiamento coletivo

Velha conhecida dos brasileiros, as plataformas de financiamento coletivo também se encaixam no setor fintech, e continuam crescendo em 2016. Com o passar dos anos, elas se especializaram e foram se tornando mercados de nicho. Hoje, além das versões dedicadas a tirar shows e eventos culturais do papel, essas fintechs possuem estrutura para auxiliar numa ampla gama de projetos — inclusive startups.
São sites, como o Broota, que permite que você possa investir nas melhores startups do Brasil através de sindicatos de investidores-líderes como Fábio Póvoa, um dos fundadores da Movile.
Essas tendências fintech vão revolucionar a maneira como interagimos com instituições bancárias, reduzindo a burocracia e diminuindo os custos por operação. Gostou de saber o que vem por aí? Não deixe de nos contar qual delas te deixou mais interessado nos comentários!

Share on twitter
Share on linkedin
Share on facebook
Esse artigo foi útil para você? 😎
Média: 0 / 5

Você também pode gostar

Nos trinques

Desbloqueie os superpoderes das ferramentas que você mais ❤️

Uma plataforma de integração como a Pluga te auxilia na conexão de ferramentas com simplicidade. Conquiste mais produtividade e agilidade […]