Empreendedorismo

E-commerce: Tudo o que você precisa para ter sucesso nesse mercado

17/11/2020

A cada dia que passa os termos em inglês rondam mais nossos círculos, não é? E um deles é e-commerce.

No mercado digital, ele é bem comum e muita gente pretende ter um – isso se já não tem.

Para quem está começando a jornada de comércio no mundo digital, é preciso entender o que esse nome significa, para muito além de sua tradução.

Por isso, fique por aqui, porque você terá detalhes primorosos sobre o que é esse tal de e-commerce. 

O que é um e-commerce

Se você acha que e-Commerce é uma loja virtual, saiba que você está certo!

E-commerce é um ambiente online em que você pode apresentar e oferecer seus produtos, e o público conhecer, comprar e receber no conforto do lar.

Pela sua característica virtual, o e-commerce tem alguns detalhes bem diferentes de uma loja física. E aí está onde você precisa realmente focar na hora de saber o que é um e-commerce.

Afinal, esse conceito tem crescido bem nos últimos anos e mesmo que uma marca tenha uma loja física, ter uma virtual tem se tornado uma necessidade – mais do que uma mera opção.

E para tornar essa necessidade uma realidade, não basta saber o que é um e-commerce. É preciso saber como funciona um. 

E se você tem muitas dúvidas mais técnicas (fiscais) a respeito desse tipo de negócio, como por exemplo:

  • Como são enquadradas as atividades de um e-commerce?
  • Quem é e-commerce pode optar pelo Simples Nacional?
  • Existe diferença na tributação de um estabelecimento físico, para as atividades de e-commerce?
  • O MEI está obrigado a emitir nota fiscal nas vendas via e-commerce?

Então você não pode perder a oportunidade de checar também o nosso Manual de Perguntas & Respostas sobre e-commerce. Confira!

Como funciona o e-commerce?

Ter preços vantajosos, produtos e atendimento de qualidade e estratégias de fidelização do cliente são primordiais para qualquer tipo de comércio.

No e-commerce, não seria diferente. Mas esses cuidados não bastam.

O ponto inicial para começar um e-commerce é a plataforma. É lá que a sua loja estará ao alcance do público. A vitrine, de fato.

E como toda vitrine, ela precisa ser chamativa, agradável e ter todas as informações sobre seu produto. Isso sem mencionar a necessidade de fotos bem caprichadas {📷}, claro.

Quando um usuário escolhe esse produto, ele adiciona ao carrinho, que é onde ficará tudo o que ele compra em sua loja virtual. Depois, em um outro momento o consumidor poderá adicionar dados sobre endereço de entrega e pagamento.

Para que tudo isso ocorra de forma segura, prática e ágil para o seu cliente, é preciso ter uma plataforma confiável, que possa oferecer ao público a melhor experiência possível e com poucos obstáculos.

Por que ter um e-commerce?

Ainda há pouco, você leu que ter uma loja virtual é uma necessidade, mais do que uma mera opção.

Se esse movimento já era uma tendência,  com a pandemia do coronavírus em 2020, se tornou uma necessidade de sobrevivência para muitas marcas que se viram impossibilitadas de venderem fisicamente seus produtos.

O caminho adotado por grande parte dessas marcas foi o virtual e não há motivos para que esse caminho seja revertido.

Mas, antes de se imaginar que um vírus mudaria toda a nossa forma das marcas se relacionarem com o cliente, o e-commerce já mostrava vantagens que indicariam que ele seria uma forma delas se ressignificarem.

Veja quais são: 

Praticidade

Ter ao alcance das pontas dos dedos um produto que você tanto quer é muito bom, não é?

Sem sair de casa, comprar quando e onde quiser.

Com uma plataforma eficiente, o usuário consegue visualizar, seja no computador ou pelo smartphone – por meio de um aplicativo – tudo o que ele precisa sobre o produto.

E receber em casa!

Ah, e ele pode pagar da maneira que for mais conveniente. Mas isso é um assunto para daqui a pouco.

Segurança

Criar um ambiente seguro em uma loja física pode ser uma tarefa demorada, onerosa ou até mesmo complexa. A percepção de segurança passa por diversos fatores que vão desde a localização, até a arquitetura do espaço e o número de profissionais envolvidos na tarefa. 

Toda essa estrutura montada a fim de passar maior credibilidade para o negócio. 

Quando transpomos essa questão para o mundo virtual, as soluções ficam bem mais acessíveis e rápidas de serem implementadas. 

Sim, sabemos que movimentar dados pessoais e financeiros é algo que requer muita seriedade. A preocupação aqui vale não só para o seu cliente,  mas também se estende à garantia que sua empresa não sofrerá com golpes.

A boa notícia é que existem prontas no mercado diversas plataformas de e-commerce que já oferecem toda a infraestrutura de segurança necessária para o seu negócio e para seus clientes. 

Assim, torna-se extremamente fácil e barato garantir que toda a operação da sua loja seja segura e confiável. 

Agilidade

Na loja física, o relacionamento “aqui e agora” com o potencial cliente é sempre usado de maneira estratégica para solucionar objeções e fechar mais vendas. E isso é bom.

Isso pode se perder em um e-commerce, caso a sua loja não conte com uma estrutura de atendimento em tempo real – como por exemplo um chat. Neste caso, o público não terá um vendedor a disposição, alguém especialista sobre a loja e que servirá como um consultor na venda.

Por outro lado, no e-commerce, a agilidade do autoatendimento é um grande trunfo. Aqui, o cliente escolhe o que ele quer ver, por conta própria e tem todas as informações de maneira prática e ágil.

Além disso, ele não terá que enfrentar filas para pagamento, nem se deparar com uma loja cheia. Por sinal, a sua loja estará aberta 24 horas por dia. 

O cliente pode comprar a hora que quiser, sem se preocupar se a sua loja estará aberta ou não.

Ele terá à disposição sempre uma vitrine bem visual e com tudo o que ele precisa saber que, com poucos cliques, poderá adquirir e esperar em sua casa o produto.

Variedade

Com uma plataforma digital de vendas, você poderá exibir e propor várias ofertas diferentes – uma para cada categoria de produtos, por exemplo.

Em uma loja física, você precisa ser bem mais sucinto quanto ao que mostrar primeiro para seu potencial cliente. Isso por causa do espaço físico, certo?

No e-commerce, você pode oferecer mais produtos, sem se preocupar com o espaço.

Além disso, um e-commerce pode operar com um estoque “virtual”. Você pode ofertar em sua vitrine produtos que serão adquiridos apenas no caso de haver demanda (como ocorre nas lojas que operam no modelo dropshipping).

Personalização

Por fim, você pode ter ofertas personalizadas para seu cliente.

Com informações sobre os produtos que ele visualiza ou mesmo que já comprou com você, é possível fazer ofertas personalizadas com o gosto do cliente.

Além disso, será muito mais fácil realizar campanhas de remarketing e de fidelização de cliente, como e-mail marketing com novas ofertas, promoções e descontos sobre um determinado produto baseado em uma experiência que a pessoa teve em sua loja virtual.

Quais são as formas de pagamento que posso oferecer na loja virtual?

Uma das grandes vantagens do e-commerce é que você pode oferecer um leque de opções de pagamento para seu cliente – e ele escolher a que melhor o convir.

A primeira delas é o clássico boleto bancário. Ele pode ser integrado com bancos conveniados, permitindo ser pago em qualquer agência.

O boleto possui taxas mais atrativas, por isso, com ele você consegue oferecer um desconto ao cliente que optar por pagar via esse meio.

Os cartões de crédito e débito também são uma opção. Para isso, a plataforma precisa realizar a integração entre a sua loja e as administradoras de cartão, como Mastercard, Cielo ou Visa ou estar integrada a um gateway de pagamento.

Apesar das taxas operacionais mais elevadas, a vantagem do cartão é que o pagamento pode ser liberado na hora e, assim, confirmar a compra do consumidor.

O depósito bancário é uma maneira menos utilizada, mas sim possível. Aqui se exige mais confiança entre a sua marca e o consumidor. Não é tão atrativa, de toda forma, porque tudo é muito manual, desde o pagamento à confirmação do depósito.

Mas, uma opção. E você não pode desperdiçá-la.

E como emitir nota fiscal pelo e-commerce?

Sendo loja virtual ou não, há algo imprescindível para qualquer transação comercial: a emissão da nota fiscal.

Ela é uma exigência legal e que ainda dá a segurança ao cliente de que está comprando com uma marca confiável.

Por isso, seu e-commerce precisa ter um emissor de notas de qualidade, otimizado e que seja uma forma de garantir a autenticidade com seu cliente.

Mais que isso, é importante que a emissão de Notas Fiscais do seu e-commerce esteja integrada aos demais setores do e-commerce, como o controle de estoque, a logística e até mesmo a comunicação via e-mail. Assim você garante um fluxo mais otimizado e consequentemente o sucesso da experiência do consumidor.

Portanto não perca tempo e veja como contratar um emissor de nota fiscal eletrônica para o seu negócio e integrá-lo à sua operação!

Veja algumas possibilidades:


 


Este post foi escrito por Rafael Versiani, produtor de conteúdo na eNotas, um sistema de emissão de notas fiscais eletrônicas, que otimiza o tempo de seus usuários, pois já coleta os dados de uma venda e emite as notas fiscais automaticamente.

Você também deve gostar de