Financeiro

6 erros de segurança na informação de transações financeiras online

06/02/2017

Atualmente, é cada vez mais comum que pessoas e empresas façam as transações financeiras on-line graças à praticidade e rapidez do processo. Porém, em muitos casos, a segurança financeira pode ser comprometida, por causa de ameaças virtuais e, principalmente, pelo descuido que muitos cometem na hora de efetuar uma operação financeira.

Quer evitar problemas com as suas transações financeiras on-line? Então veja os 6 principais erros de segurança e saiba como efetuar as suas operações corretamente.

1. Enxergar a segurança on-line apenas como um problema de TI

É inegável que a área de TI tem um papel cada vez mais estratégico nas empresas. O problema é que muitos colaboradores (e até mesmo gestores) veem a segurança on-line como um problema exclusivo de TI e acabam deixando a empresa exposta a riscos.

Na realidade, a segurança digital é uma responsabilidade — e também um desafio — para todos os funcionários, independentemente da hierarquia.

Quando os colaboradores não tomam os devidos cuidados na hora de realizar transações on-line, alguns dados acabam vazando e podem acabar retornando como spam, abrindo uma vulnerabilidade para que a conexão seja hackeada, prejudicando toda a organização.

2. Não utilizar um método de pagamento com proteção do comprador

Muitas pessoas, ao efetuarem transações financeiras on-line, utilizam o cartão de crédito cuja operadora leva a culpa nos casos de fraudes virtuais.

Esse tipo de atitude pode comprometer seriamente a segurança financeira de uma empresa, já que as fraudes vêm se tornando cada vez mais sofisticadas e capazes de roubar todos os dados da pessoa/empresa que faz a operação.

Por isso, o ideal é apostar em sistemas de pagamento virtuais que não compartilham todos os dados do cartão utilizado aos vendedores, para proteger o comprador de golpes.

3. Não manter um registo da transação

Esse é um erro bastante comum. A pessoa faz a transação on-line, confirma, mas não salva o comprovante, o que pode gerar uma grande dor de cabeça caso o fornecedor ou o vendedor não receba o pagamento conforme combinado.

Para evitar esse inconveniente, o mais indicado para manter a segurança financeira é sempre guardar o seu comprovante por meio de uma cópia, salva em arquivo ou impressa.

4. Utilizar palavras-chave e senhas de acesso fracas

Hoje em dia, os golpistas utilizam a engenharia social para coletar os dados de contas, especialmente as corporativas. E, mesmo assim, as pessoas cometem descuidos, como colocar a própria data de aniversário ou o nome do cônjuge como senhas e lembretes, que podem ser facilmente descobertos.

Portanto, na hora de cadastrar palavras-chave e senhas de acesso, utilize dados que só você conhece e/ou sabe a resposta, de forma que um hacker não consiga obter acesso à sua rede e às suas contas, mantendo a segurança financeira intacta. Ou ainda, se você procura uma alternativa para armazenamento e gerenciamento de senhas, o programa 1Password pode ser extremamente útil.

1Password:  aplicativo para segurança de dados

5. Subestimar as ameaças virtuais

Outro erro bastante comum é que as pessoas subestimem o poder das ameaças e não tomem os devidos cuidados on-line, o que abre uma brecha para que pessoas mal-intencionadas enviem malwares e roubem os dados financeiros da empresa — e até mesmo dos colaboradores.

Por isso, é importante que os funcionários estejam conscientes dos riscos e que a equipe de TI monitore a rede corporativa para detectar possíveis falhas de segurança e evitar um problema maior.

6. Acessar páginas sem atenção

Nas empresas, muitas vezes o colaborador recebe um link diretamente no seu e-mail — de um banco, por exemplo — e inadvertidamente acaba clicando e sendo direcionado para um site pirata, que imita o original, no qual as pessoas digitam seus dados, que são enviados diretamente para o hacker.

Esse tipo de erro não é cometido apenas por funcionários. Muitos gestores e donos de negócio, por cansaço ou falta de atenção, também cometem o mesmo equívoco.

Percebeu como erros do dia a dia podem afetar a segurança financeira de uma empresa? Por isso é tão importante ter uma política de conscientização corporativa sobre o assunto, além de manter o antivírus e sistemas de segurança sempre atualizados para evitar erros e tentativas de invasão.

Gostou do nosso conteúdo? Ainda ficou alguma dúvida sobre o tema? Deixe um comentário!

Você também deve gostar de