Marketing

Otimização de sites para o Google: 5 técnicas de SEO para aumentar o seu tráfego

29/03/2019
otimização de site

Otimização de sites é um termo cada vez mais ouvido. Mas, você realmente sabe o que significa?

Otimizar um site vai muito além de performance ou desempenho técnico. Existem, sim, fatores importantes para o ranqueamento no Google que envolvem o código do site, mas não é só isso.

Otimizar, conforme o dicionário, é “criar condições mais favoráveis para; tirar o melhor partido possível de”.

Ou seja: aproveitar ao máximo o seu site, criando condições favoráveis para aumentar os resultados do seu negócio. E quando falo em resultado nem sempre falo de venda: tudo depende do objetivo e da estratégia da sua empresa.

Mas então, você me pergunta: Como faço para otimizar meu site? 🤔

Bem, você precisa entender um conceito muito simples e que muita gente esquece: o Google busca atender pessoas. Certo?

O objetivo do Google é oferecer a melhor resposta possível para cada pergunta, de cada usuário.

E isso só será possível se a empresa, que busca boa presença neste ranking, também estiver disposta a oferecer o melhor conteúdo possível para o usuário.

Comprometa-se, sim, a atender todos os requisitos técnicos exigidos pelo Google para uma boa indexação nos seus rankings de busca. Mas comprometa-se, também, a oferecer conteúdos relevantes e de qualidade.

E é sobre isso que vamos falar hoje, neste post.


Guia para aumentar as vendas com Inbound Marketing
Leia também: Como criar e-commerce e ganhar dinheiro, não dor de cabeça

1. Descubra as palavras-chave que geram resultados para seus concorrentes

Assim como o termo otimização de sites já anda “na boca do povo”, toda empresa fala em trabalhar as palavras-chave. Mas nem sempre isso é feito da melhor maneira.

A palavra-chave ideal nem sempre é a que você, empresário, imagina. Você pode chamar seu produto ou serviço de algo específico, e acredita que possa ter que investir nessas palavras para ter bons resultados.

Mas seu cliente, como busca esse produto ou serviço? Seus concorrentes, que palavras-chave trabalham?

Assim como a concorrência no mercado offline, no mundo digital a concorrência também é acirrada e, muitas vezes, desleal.

Pode acontecer de seus concorrentes digitais nem serem concorrentes de mercado. Mas se alguém produz conteúdo de qualidade sobre um assunto importante para sua empresa, ela será uma concorrente importante de ser avaliada.

Para ajudá-lo nessa tarefa, quero indicar uma ferramenta gratuita e fácil de utilizar e compreender: o Ubersuggest.

Eu lancei esta ferramenta há algum tempo, e recentemente conseguimos disponibilizar uma versão atualizada que permite a análise de métricas a nível de domínio. Ou seja: você pode buscar pelo endereço do site do seu concorrente!

Para começar sua pesquisa, acesse o Ubersuggest e digite a URL que você deseja pesquisar. Como exemplo, usei o meu site:

otimização de sites

Clique em “Buscar” e aguarde o processamento. Você irá se deparar com uma tela como esta:

Na visão geral do domínio, você já consegue entender o número de palavras-chave orgânicas atribuídas e ranqueadas, bem como uma ideia de tráfego orgânico.

No menu lateral, clique em “Páginas principais”.

otimização de sites

Esta lista contempla as páginas que mais atraem tráfego para o site do seu concorrente. Pode ser uma boa fonte de ideias para produção de seus conteúdos!

Agora, clique no item Palavras-chave, do menu lateral. Você vai ver uma tela com estes resultados:

Aqui é uma listagem das palavras-chave mais relevantes para o seu concorrente. Observe a última coluna: ela indica a dificuldade de você ranquear algum conteúdo para esta mesma palavra-chave. Quanto maior o número, maior a competição.

Já a coluna de volume, é o volume aproximado de buscas por essas palavras, no último mês. E a estimativa de visitas é quantos usuários acessam a página que está ranqueando para aquela palavra, no site do seu concorrente.

É muito simples encontrar oportunidades para competir, percebe?

Se você pegar como base as informações coletadas neste passo a passo, já consegue construir uma estratégia de conteúdos excelente.

Então, é só seguir com as próximas dicas para garantir os melhores resultados!

2. Entenda a intenção de usuário antes de criar conteúdos

Muito bem! Agora você já pesquisou as palavras-chave dos seus concorrentes, adicionou às que você julga importante, além de sugestões que você anotou durante sua pesquisa.

Agora, tem algo muito importante que você precisa considerar: qual a intenção do usuário?

Vou exemplificar:

Se a Maria pesquisa no Google “Onde vende luminária de sisal, é correto afirmar que a Maria pretende comprar uma luminária de sisal. Se não agora, muito em breve. Ela está fazendo uma pesquisa para encontrar os locais que vendem o produto que ela deseja.

Agora, se a busca da Maria fosse “Como fazer luminária de sisal”, percebemos que ela não tem interesse em comprar a luminária, e sim em aprender a fazer uma. O famoso DIY, um estilo de conteúdo que tem feito cada vez mais sucesso na internet.

Mas, o que isso significa? Que a Maria, com intenção em fazer sua própria luminária, não é usuário potencial para o seu negócio?

A resposta é: Depende.

Talvez, neste momento, o seu usuário queira resolver sozinho uma dor que ele sente. Ainda não é hora de tentar vender o seu produto ou serviço, mas você pode ajudá-lo a sanar esse problema pontual.

Com o marketing de conteúdo, você oferece a mão quando o seu potencial cliente mais precisa. Também pode ajudá-lo a entender que, talvez, o problema dele seja maior do que ele imagina, ou que existam soluções muito mais fáceis do que tentar resolver sozinho.

E assim, nesse processo de educação e incentivo, você conquista o seu consumidor. Ponto para você!

Bacana, Neil, mas como eu posso identificar a intenção do usuário?

De novo, a ferramenta Ubersuggest resolve isso para você.

No módulo Análise das SERP’s você identifica os sites que estão ranqueando com determinada palavra-chave, o volume de tráfego que ela traz e o engajamento social dela.

Por exemplo, vamos seguir com o termo “luminária”. Acesse o Ubersuggest e digite o termo na caixa de busca. 

otimização de sites

Note que você já recebe um feedback sobre as chances de ranquear para o termo pesquisado.

Você também tem acesso ao volume de buscas para a palavra, o que é bastante útil para orientá-lo na tomada de decisão.

Clique em Ideias de Palavras-Chave. Você irá ver uma tela de resultados como esta:

otimização de sites

No quadro à direita, são os resultados principais para o termo pesquisado. Ali você pode ter uma boa noção de como esta palavra está performando e quais seus principais concorrentes.

No quadro à esquerda, você tem outras ideias de palavras semelhantes. Conforme navegar por ali, irá conhecer os sites que melhor indexam para cada uma delas também.

Perceba como, neste quadro, sugerem-se palavras complementares à primeira pesquisada. Neste caso, as primeiras palavras sugerem que as pessoas buscam por luminárias de teto, luminárias de led, luminária para sala, para quarto, banheiro, etc.

Dentre essas ideias, virão palavras-chave de cauda longa, que são aquelas frases mais completas, como as que usei no exemplo da Maria.

Elas normalmente apresentam verbos ou outras palavras em conjunto com a palavra-chave principal, o que pode indicar a intenção do usuário.

No exemplo da nossa busca anterior, na listagem de palavras-chave sugeridas, temos esta:

Esse é um bom exemplo de palavra de cauda longa. Imagine, agora, você criar um post em seu blog com essa palavra, ou utilizar esse termo como um complemento do seu conteúdo?

Vai ser bem assertivo para o usuário que busca algo tão específico. Por isso, terá boas chances de ranquear esse termo!

Essas palavras de cauda longa associadas ao entendimento do tráfego e engajamento social podem dar um bom parâmetro do tipo de resultado que este conteúdo traria para sua empresa.

3. Escreva conteúdos aprofundados para ranquear no topo do Google

Lembra que comentei, alguns parágrafos acima, que o objetivo do Google é oferecer o melhor resultado possível para a busca do usuário?

Então, o melhor resultado é, naturalmente, aquele que tiver o conteúdo mais relevante. Relevância é qualidade e, pelo menos neste caso, para a qualidade, tamanho é documento sim!

Significa que você precisa escrever um artigo enorme, com muita repetição e encheção de linguiça? Não, neste caso é melhor escrever um post mais curto mesmo.

Mas se você intenção de competir com palavras-chave difíceis, que são trabalhadas por várias empresas e que têm muito conteúdo disponível, você precisa investir tempo e pesquisa para se dedicar a criar um conteúdo incrível.

Esqueça a repetição desenfreada de palavra-chave. Ela precisa constar no seu texto o máximo possível, desde que seja natural e faça sentido.

O Google evoluiu muito. Ele é capaz de entender palavras relacionadas à palavra-chave. Chamamos isso de LSI: Indexação Semântica Latente.

Os motores de busca rastreiam o conteúdo de uma página, identificando e agrupando palavras e frases relacionadas como palavras-chave adicionais. É uma espécie de busca de sinônimos da sua palavra-chave primária.

O objetivo do uso LSI na otimização de sites é para dizer ao rastreador do Google para indexar seu conteúdo com base em sua intenção.

Por exemplo, se você estiver escrevendo sobre energia, você pode estar falando de energia solar, energia elétrica ou até mesmo energia física, bem-estar.

Por isso, o contexto irá explicar para o Google sobre que tipo de energia você se refere, e apresentar o seu conteúdo para quem buscar por algo relacionado à isso.

A criação de conteúdos longos permite que você trabalhe com qualidade a sua palavra-chave primária, bem como as palavras-chaves secundárias, criando uma boa semântica para o seu texto.

Com isso, seu conteúdo terá qualidade e será relevante, o que já deixa você à frente de todas as empresas que fazem somente o básico.

Com a ferramenta Ubersuggest você consegue ter ideias de palavras-chave relacionadas para incrementar os seus conteúdos.

Seguindo o nosso exemplo da luminária, clique na aba “palavras-chave relacionadas”.

Observe que a listagem, à esquerda, vai trazer outros termos que não contém “luminária”, mas que tem relação com essa busca.

Arandela, fita de led, pendente, abajur, lustre e muitos outros! Por isso, na hora de você construir o seu conteúdo, não deixe de verificar a aba de palavras relacionadas.

É uma excelente forma de enriquecer o seu texto e deixar o seu material relevante para todos os usuários que buscam por esse termos.

4. Atualize conteúdos antigos para conseguir o máximo de tráfego

Você sabia que, além de produzir novos conteúdos, atualizar os conteúdos antigos também uma excelente forma de subir no ranking dos mecanismos de busca?

Quando o Google entende que você é uma empresa comprometida a manter seus artigos atualizados, você terá mais relevância na hora de apresentar os resultados da busca.

Isso porque é muito mais interessante para o Google confiar que os dados e informações sejam atuais, do que ranquear empresas que escreveram conteúdos há anos e nunca mais deram atenção a eles.

E, com certeza absoluta, atualizar seus conteúdos antigos dá muito menos trabalho do que escrever conteúdos novos!

Então, intercale seu planejamento de postagens entre artigos novos e atualizações de artigos antigos.

Atualize dados, incremente com informações e novas palavras relacionadas, redistribua novamente em suas redes sociais ou mailing. Com isso, você terá um novo pico de acessos a um material antigo, e o Google vai gostar de saber disso.

5. Melhore a velocidade de carregamento das suas páginas

Quanto tempo você está disposto a esperar o carregamento de um site?

Segundo o Google, não pode ser mais do que 3 segundos.

Como você está querendo otimizar o seu site para melhorar o ranqueamento no Google, melhor não contrariar, certo?

Quanto mais as pessoas utilizam os dispositivos mobile, maior a importância de se ter um site com carregamento veloz.

Isso porque, no celular, as pessoas têm ainda menos paciência para esperar o carregamento do que teriam no desktop. Fora que, muitas vezes, elas estão acessando de redes móveis, e você não quer ser o responsável por fazê-la consumir toda a banda, certo?

40% dos usuários simplesmente saem do site se ele demorar mais do que 3 segundos para carregar.

Agora você imagina: tanta pesquisa e empenho para construir um conteúdo longo, de qualidade, superior aos concorrentes, e quando a pessoal finalmente vai visitar o seu site, ela desiste.

Inadmissível, não é mesmo?

Lembra quando eu comentei que otimização de sites é, também, cuidar da parte técnica?

Existem diversos fatores que influenciam no tempo de carregamento de uma página, como a quantidade de arquivos javascript, o peso das imagens ou as chamadas e requisições de outros plugins, por exemplo.

Você pode ter alguns insights de melhorias através da ferramenta do próprio Google, o Pagespeed.

Mas uma dica já posso deixar, para que você sempre aplique: otimize suas imagens. Todas. Sempre.

Você pode utilizar sites como o tinypng.com para isso.

Com a otimização, sua imagem não perde qualidade mas reduz consideravelmente o peso do arquivo, o que vai consumir menos espaço em servidor e também auxiliar para um carregamento de página mais rápido.

Você pode achar chato ter que editar e comprimir as imagens, ou que, talvez, deixar de otimizar uma imagem de vez em quando não faria mal.

Mas pense que são somente alguns poucos minutos a mais no seu processo, e que isso pode garantir que o conteúdo criado seja entregue para o maior número de usuários possíveis. Não pule essa etapa.

Conclusão

Agora você sabe que otimização de sites, nada mais é do que tirar o melhor proveito possível do seu site, gerando mais resultados para sua empresa.

Você deve, sim, se importar com a parte técnica: ter cuidado com o código, com o tempo de carregamento das páginas, dar atenção aos requisitos básicos do Google.

Mas atender a parte técnica não será suficiente, se você não tiver uma estratégia eficaz de conteúdo.

O que fará você conquistar boas posições nos rankings dos buscadores é a qualidade e a relevância do seu conteúdo.

Para isso, é preciso investir tempo: pesquise as palavras-chave utilizadas pelos seus concorrentes, entenda o potencial de cada uma delas para gerar tráfego para o seu site, busque palavras relacionadas e construa conteúdos completos.

A ferramenta Ubersuggest é um excelente primeiro passo para você começar suas buscas. Além de ser gratuita, apresenta as principais métricas para sua análise e planejamento.

E então, qual dessas dicas de otimização de sites você vai utilizar primeiro? Conte nos comentários!

Se curtiu o conteúdo, compartilhe em suas redes sociais e divulgue essas dicas para seus amigos e colegas de trabalho. Incentive seus conhecidos a também aprenderem e melhorarem suas estratégias de marketing digital.

Artigo produzido por Neil Patel.

Neil Patel é o co-fundador da Ubersuggest, Hello Bar, Crazy Egg, Neil Patel Digital e Kissmetrics. Ele ajuda empresas como Amazon, Microsoft, Airbnb, Google e SalesForce a crescerem através do marketing.

Você também deve gostar de