Explorando o Tema

Meios de pagamento

API

Segredos para montar loja virtual com PagSeguro e outros meios de pagamento

08/10/2018
loja virtual com pagseguro

Quem está começando no e-commerce 💻 costuma ter diversas dúvidas sobre como montar uma loja virtual, quanto isso pode custar 💸, como se conectar com as operadoras de cartão 💳 e com os bancos, como receber seus pagamentos 💵 e ainda criar um checkout para os clientes (aquele formulário que aparece na tela na hora de pagar as compras).

É, tudo isso pode ser complicado para iniciantes…

Mas fique tranquilo! Uma dica é começar com uma loja “pronta”, fácil de formatar e já integrada a um meio de pagamento.

Continue lendo…

Financeiro

O que é gateway de pagamento? A distância mais curta entre sua loja e a carteira de seu cliente

17/09/2018
o que é gateway

Definir o que é gateway de pagamento em poucas palavras é simples:

Gateway de pagamento é uma empresa que desenvolve toda infraestrutura tecnológica para integrar a sua loja na internet com todos os meios de pagamentos. Isto é: com as bandeiras de cartão de crédito e débito e com bancos, para fazer a emissão de boletos bancários ou depósitos em conta, entre outros agentes financeiros.

Mas se o conceito de gateway é simples 😎 de entender, o trabalho desenvolvido por eles é bastante complexo 🤓.

E é exatamente para descomplicar sua vida e os desafios do empreendedorismo digital que eles existem.

Nesse post, você vai entender melhor o conceito de gateway e como funciona para auxiliar seu e-commerce a vender mais.

Continue lendo…

Vendas

Saiba tudo sobre e-commerce: monte ou potencialize seu negócio online

20/03/2018
tudo sobre e-commerce

Sem tempo para ler? Que tal escutar um  podcast sobre o tema? Ouça agora:

Está pensando em investir em um negócio dinâmico e perfeito para o novo comportamento do consumidor? Então você precisa descobrir tudo sobre e-commerce! A palavra e-commerce é o termo em inglês que significa “comércio eletrônico”, ou seja: uma empresa que realiza vendas por meio de plataformas online, baseadas na internet.

Dentre as várias formas de e-commerce existentes, uma das mais conhecidas é a loja online, onde se disponibilizam produtos e serviços para a venda.

Fazer compras do conforto de suas casas é o que os novos consumidores mais têm buscado atualmente. E de forma bastante exigente, por sinal.

Por esse motivo cada vez mais é exigido mais profissionalismo das empresas de e-commerce. Em paralelo,através do uso das tecnologias disponíveis no mercado, o proprietário da loja online também pode perfeitamente trabalhar remotamente.

É o famoso ganha-ganha, onde os dois lados ganham.

Mas como se monta uma loja online? Nesta postagem, você vai entender tudo sobre e-commerce, além de mais detalhes sobre como ter sucesso nesse tipo de empreendimento.

Você vai ler sobre: 

  1. O “bê-a-bá” de um e-commerce

1.1. Significado de e-commerce

1.2. Como surgiu o e-commerce? 

1.4. Vantagens e desvantagens do e-commerce

2. Tudo sobre e-commerce: guia completo para montar sua loja online

2.1. Defina seu nicho

2.2.Elabore um bom plano de negócios

2.3. Escolha sua carteira de produtos ou serviços

2.4. Organize seu catálogo de vendas

2.5.Determine a melhor forma de pagamento 

2.6. Desenhe a estrutura logística da loja 

2.7. Conte com as melhores ferramentas de apoio

3. Para inspirar: as plataformas de e-commerce mais famosas da internet e seus diferenciais 

4. Tipos de e-commerce: Plataforma Open Source e Plataforma Proprietária

5. E-commerce: como funciona um site de excelência? 

Antes que você continue a leitura, já adiantamos: para montar um e-commerce, você vai precisar de um BOM meio de pagamento online. Por isso, baixe de uma vez nosso e-book e saiba como escolher o ideal para seu negócio:

Saiba mais: O guia ilustrado para escolher o melhor meio de pagamento digital para o seu negócio

O “bê-a-bá” de um e-commerce

Embora possa parecer que o e-commerce é um empreendimento relativamente simples de se colocar em prática, para obter sucesso nesse ramo e desenhar uma estratégia eficiente de venda online é necessário entender tudo sobre e-commerce. 

E não estamos brincando quando dizemos “tudo”! É preciso mergulhar fundo na expressão, nas origens da modalidade de compra e venda e, sobretudo, entender seus prós e contras para, a partir de então, desenhar uma estratégia de negócios com verdadeiro potencial de sucesso. 

Significado de e-commerce

Como você viu na introdução deste artigo, o significado de e-commerce está ligado ao contexto de comércio digital. Não à toa, a expressão inicia com o clássico “e-”, que remete a ferramentas concebidas na e para a internet. 

Dessa forma, podemos dizer que e-commerce é um marketplace (ou um espaço para venda) virtual construído com o objetivo de possibilitar processos de venda online. 

Para se aprofundar na definição de e-commerce e unir teoria e prática, recomendamos a leitura do Guia de orientação de e-commerce para o varejo, do Sebrae, disponível para download aqui.

Como surgiu o e-commerce?

Você provavelmente não sabia dessa informação, mas pesquisas apontam que o e-commerce já existia desde meados dos anos 50, com transmissões eletrônicas de informações. 

É claro que, na época, a dinâmica de funcionamento do comércio virtual não se parecia muito com a atual, especialmente por conta dos desafios enfrentados para custear a ferramenta e gerar bancos de dados qualificados. 

Por conta disso, é comum encontrarmos informações que datam a origem do e-commerce nos anos 70, quando Michael Aldrich inventou seu sistema que permitia, de fato, o processamento de transações online entre consumidores e empresas.

Com a popularização da internet no começo dos anos 2000, o e-commerce ganhou um novo território para brilhar, agora, em um ambiente mais acessível e didático. O que facilitou, inclusive, a entrada de empresas de diversas partes do mundo no mercado do comércio eletrônico. 

No Brasil, estudos apontam que o início do e-commerce se deu em meados dos anos 90, com o registro da internet comercial. Nesta época, as páginas eram rudimentares e o modelo de compra apresentava alguns entraves, como a indisponibilidade de fotos dos produtos ou a necessidade de comprar via e-mail ou fax, ainda que o catálogo de produtos estivesse disponível de forma digital. 

Seguindo a tendência do mundo, entre o fim dos anos 90 e o início dos anos 2000, o boom da internet possibilitou o surgimento de diversos e-commerces famosos no país (como o Submarino e o Ponto Frio). 

Vantagens e desvantagens do e-commerce

Para entender tudo sobre e-commerce e desenhar a melhor estratégia para o seu negócio, é importante ter atenção quanto aos pontos positivos e negativos da modalidade. Este conhecimento definirá se o modelo de negócio é ou não funcional para o seu produto ou plano de vendas. 

Vantagens do e-commerce

Uma plataforma de vendas virtual bem estruturada pode oferecer uma série de vantagens aos empreendedores. A seguir, listamos algumas delas. 

  • economia de recursos (já que um comércio virtual dispensa a necessidade de uma loja física para receber clientes e a contratação de vendedores); 
  • proximidade com o consumidor durante toda a jornada de compra (já que, no e-commerce, os canais de contato com a loja estão abertos, permitindo a troca de informações a todo momento); 
  • acompanhamento do funil de vendas (já que sistemas como os CRMs e ERPs permitem uma gestão detalhada do percurso do cliente em sua jornada até a compra do produto); 
  • acessibilidade — literalmente — na palma da mão do cliente (com o desenvolvimento de plataformas responsivas, o cliente pode acessar a loja virtual em seu smartphone ou tablet a qualquer hora, de qualquer lugar); 
  • possibilidade de automatizar processos e otimizar rotinas operacionais (com a ajuda de integração de ferramentas e sistemas de gestão de e-commerce, tarefas operacionais, como preenchimento de planilhas, podem ser automatizadas e comandadas por inteligência artificial!);
  • maior poder de gestão de dados (com relatórios gerados automaticamente pelos sistemas operacionais, ajudando a entender o comportamento do consumidor com mais profundidade e direcionar ações de marketing e vendas com mais assertividade). 

Desvantagens do e-commerce

Embora a transformação digital e o próprio comportamento do consumidor estejam, cada vez mais, apontando para a consolidação do e-commerce como principal canal de compra, é preciso conhecer seus pontos fracos e trabalhar para contorná-los. Veja alguns deles a seguir: 

  • impossibilidade ou dificuldade para experimentar ou trocar produtos (especialmente de vestuário);
  • desconfiança do consumidor sobre o sistema de segurança de dados da plataforma (o que, em alguns casos, pode ser fator determinante para um churn); 
  • logísticas de entrega que, muitas vezes, fogem do controle da loja (como transportadoras ou correios convencionais); 
  • investimento considerável na aquisição de plataformas e softwares modernos e com usabilidade adequada ao usuário. 

Tudo sobre e-commerce: guia para montar sua loja online

Se você já tem sua loja montada e operando, talvez esta primeira parte do texto seja um pouco básica para você.

Mas, mesmo para quem já trabalha com comércio digital, sempre vale a pena revisar alguns conceitos, especialmente se há interesse em saber tudo sobre e-commerce. Vamos lá? 

Defina seu nicho

O passo número um para saber tudo sobre e-commerce e começar um negócio online é definir um nicho de atuação.

Isso quer dizer: a necessidade específica do público que o e-commerce atenderá.

Atuar de forma muito ampla, no início, será muito complicado: tenha foco!

Veja alguns exemplos para começar um e-commerce:

  • Aulas particulares para estudantes do ensino médio,
  • Cursos livres na área de marketing;
  • Moda feminina para adolescentes;
  • Acessórios de informática “descolados”.

Para te ajudar a tomar uma decisão melhor embasada, veja este infográfico, desenvolvido pelo Sebrae para a 3ª Pesquisa Nacional do Varejo Online, com os segmentos de atuação mais utilizados pelos empreendedores de e-commerce. 

Moda, Casa e Decoração e Informática são os três principais segmentos, com 30%, 13% e 12% das respostas, respectivamente. 

tudo sobre e-commerce segmentos

Fonte: Sebrae

Elabore um bom plano de negócios

Após determinar o nicho de atuação da empresa, o próximo passo para montar uma loja online é o planejamento propriamente dito. Esta etapa é essencial,na realidade,  para o desenvolvimento de qualquer modelo de negócio, já que funciona como uma espécie de guia para os processos de implantação, orientando metas e objetivos de curto, médio e longo prazo. 

Se você não sabe como montar um plano de negócios, não se preocupe. 

Temos algumas dicas de ferramentas que vão te ajudar a encontrar os caminhos do seu negócio. 

  • 5w2h: 5 perguntas-chave (o que, quem, quando, por que, onde, como e custo) para construir planos de ação e orientar projetos. Leia mais sobre a ferramenta aqui
  • Canvas: esquema em formato de tela que permite a organização de um modelo de negócio de forma simples, visual e objetiva. Leia mais sobre ele aqui. 

Entenda o modelo Canvas de forma detalhada no vídeo abaixo: 

Escolha sua carteira de produtos ou serviços

Durante a estruturação do seu  plano de negócio, será preciso definir quais produtos ou serviços que serão comercializados na loja virtual.

No caso de venda de serviços, como aulas particulares, os “produtos” poderiam ser:

  • Aulas de inglês por Skype;
  • Aulas de espanhol presenciais;
  • Reforço escolar;

Entre outros.

Já para o comércio de bens físicos, se definir o nicho de moda feminina para adolescentes, os seguintes produtos podem fazer parte da grade da loja virtual:

  • Cintos;
  • Bolsas;
  • Blusas;
  • Vestidos;
  • Macacões;
  • Casacos;
  •  etc.

Organize seu “catálogo de vendas”

Com a clareza do público-alvo, nicho de atuação e produtos oferecidos, é hora de começar a desenhar os processos de ordem prática para implementação e operação do e-commerce. 

Nesta etapa, estão incluídos: 

  • inventário de produtos (quantidade de itens, tamanhos e cores disponíveis); 
  • descrição de itens disponíveis;
  • régua de tamanhos (caso estejamos falando do segmento de vestuário);
  • itens em estoque. 

Determine a melhor forma de pagamento 

O próximo passo é estabelecer, de forma específica, quais serão os meios de pagamento aceitos em seu e-commerce. Lembre-se de que esta escolha precisa ser feita de forma estratégica, e alinhada às condições de cada negócio. 

Para isso, é preciso considerar os prazos e termos de adesão a cada plataforma de pagamento, bem como taxas extras praticadas por essas empresas. 

Se quiser mais informações sobre elas, baixe este infográfico e saiba tudo sobre pagamentos em e-commerce: O melhor meio de pagamento digital para o seu negócio.

Desenhe a estrutura logística da loja 

Esta é uma etapa-chave que deve ser desenvolvida em paralelo às demais. Por ser altamente estratégico, o desenho da estrutura logística do e-commerce deve acontecer de forma paralela à criação da dinâmica de controle de estoque e de pagamento. 

Aqui, devem ser considerados: 

  • valor do frete;
  • política de entrega;
  • parcerias com transportadoras ou correios; 
  • prazos de entrega; 
  • políticas de troca e recolha de itens devolvidos ou avariados. 

Conte com as melhores ferramentas de apoio 

A esta altura, você já sabe praticamente tudo sobre e-commerce. Mas ainda faltam alguns pulos do gato, que tornarão sua gestão de negócio mais fluida e sua equipe mais motivada e produtiva

ERP

ERP (Enterprise Resource Planning, ou planejamento de recursos empresariais) é um sistema de gestão empresarial que reúne todas as áreas da empresa ou do e-commerce em uma única plataforma. 

Seu objetivo é possibilitar que as informações fluam com mais transparência e precisão de um setor para o outro. Com isso, os ERPs permitem um gerenciamento mais ágil do negócio, além de uma tomada de decisão mais segura.

Assista a este webinar para entender como um ERP pode ser potencializado com a ajuda de boas integrações.

CRM

Com um bom CRM (Customer Relationship Management, ou gerenciamento do relacionamento com o cliente), é possível acompanhar cada etapa do funil de vendas de forma integrada. Isso porque o sistema armazena e disponibiliza, em um pipeline visual, em qual etapa da jornada se encontra cada prospect ou lead interessado no seu produto ou serviço. 

O CRM é uma ferramenta-chave para ampliar a força de vendas do e-commerce e garantir experiências mais funcionais e memoráveis ao cliente. Ao mesmo tempo, traz dinamismo e assertividade às tomadas de decisão da equipe, que passa a ser orientada por dados precisos e constantemente atualizados. 

Integrações 

Ter bons sistemas gerenciais é, sim, uma mão na roda para quem quer entender tudo sobre e-commerce e trabalhar com uma só ferramenta que centralize toda a operação de vendas. Mas isso não significa que as ferramentas individuais já utilizadas no seu negócio são dispensáveis. 

Pelo contrário! Elas podem — e devem — ser combinadas entre si e com os sistemas de gestão para trazerem potência à rotina do comércio virtual. 

Quer ver alguns exemplos de como as integrações são capazes de turbinar sistemas? Então aproveite este guia super completo com dicas e hacks para integrar e automatizar processos no seu e-commerce

Veja mais: Webinar com 6 integrações que podem alavancar seu e-commerce

Para inspirar: as plataformas de e-commerce mais famosas da internet e seus diferenciais 

Existem diversas ferramentas que podem ajudar na montagem de uma loja virtual.

A escolha dependerá da facilidade que você tem em utilizar cada uma das plataformas para construir seu e-commerce.

Além disso, também é importante avaliar qual é mais adequada para os produtos ou serviços oferecidos.

Para te ajudar, citamos 3 plataformas muito utilizadas no mercado brasileiro: 

  • WooCommerce;
  • Loja Integrada;
  • Magento.

1- WooCommerce

O WooCommerce é utilizado por quase 10.000 domínios no Brasil. Isso acontece devido a sua flexibilidade e ao fato de ser utilizada dentro do WordPress, o maior CMS do mundo.

É possível cadastrar todos os tipos de produtos, realizar promoções, campanhas de marketing e também simplificar a forma de cobrança do frete.

Veja também:

2- Loja Integrada

Já a Loja Integrada é uma plataforma feita no Brasil.

Ela permite a criação de um e-commerce gratuito, além de disponibilizar tutoriais de uso bastante fáceis de entender (em portugês!).

Outra funcionalidade interessante é a presença de relatórios de venda e de crescimento da loja online.

Ela também pode ser integrada a aplicativos como Google Analytics e o Facebook.

Aliás, ela pode ser integrada a várias outras ferramentas por meio de automatizações criadas pela Pluga, veja só:


 

3- Magento

Contando com cerca de 5.500 domínios no país, essa ferramenta é popular devido a sua facilidade interna de criação e personalização dos sites.

O Magento oferece uma navegação otimizada, sendo considerada uma das melhores e mais rápidas plataformas de e-commerce do mercado.

Confira: WooCommerce Vs Magento, uma disputa acirrada!

Tipos de e-commerce: Plataforma Open Source e Plataforma Proprietária

Quem quer saber tudo sobre e-commerce não pode deixar de aprender sobre essa particularidade em relação ao tipo de plataforma escolhida. A seguir, falaremos sobre os dois principais tipos de e-commerce: plataformas open source e proprietária. 

Open Source

As plataformas Open Source de e-commerce são lojas online de código livre.

Isso significa que elas são desenvolvidas por programadores que disponibilizam seu código para download gratuitamente na internet.

Embora sejam gratuitas, e por isso, mais acessíveis, muitas vezes possuem são limitadas quanto às possibilidades de alterações e personalizações permitidas. 

Plataformas Proprietárias

Por sua vez, as plataformas proprietárias são pagas.

Porém, essas ferramentas são formuladas de forma exclusiva. Elas possuem tecnologia própria, sendo desenvolvidas de acordo com o desejo do seu proprietário.

E-commerce: como funciona um site de excelência? 

Agora sim, você tem em mãos todas as informações necessárias para dominar tudo sobre e-commerce. 

Para finalizar, vamos elencar os principais aspectos que devem ser considerados por quem deseja criar uma loja virtual atrativa e com boa usabilidade. 

Cada um destes aspectos deve ser considerado na etapa de programação, levando em conta que uma loja virtual deve oferecer a melhor experiência de navegação para seus usuários.

1- Pesquisar produtos em categorias

Grande parte dos clientes chega à loja por meio dos mecanismos de busca, como o Google.

Uma vez na página, o ideal é que ele consiga encontrar a variedade de produtos de forma organizada e categorizada.

Isso aumenta as chances de venda.

2- Disponibilizar Cross-selling & Up-Selling

Cross-selling significa fornecer ao cliente opções relacionadas ao produto que ele busca.

Ou seja, se uma pessoa compra sapatos masculinos é provável que ela procure também meias para combinar.

Um complementa o outro.

Já o Up-selling se trata de apresentar produtos que estão uma categoria acima daqueles que foram procurados.

Uma pessoa que compra um aparelho de barbear talvez queira comprar o kit completo para barba, por exemplo.

Ambas as estratégias possuem grande potencial de impulsionar as vendas do e-commerce. Portanto, considere utilizar uma plataforma que permita ofertar as duas modalidades complementares de produto sempre que um consumidor visitar uma página.

3- Gerenciar os produtos da loja

Esse recurso é fundamental para o proprietário do e-commerce.

Isto é, contar com uma forma simples e rápida para acrescentar ou retirar os produtos disponíveis.

Além disso, também é imprescindível que a ferramenta forneça facilidades para importar fotos, descrições e informações dos artigos para a loja.

Tudo sobre e-commerce: dicas finais

Saber tudo sobre e-commerce é uma ótima maneira de começar um negócio na internet.

Para isso, é importante contar com uma boa plataforma e também os recursos complementares necessários para o gerenciamento.

Com um produto ou serviço de qualidade e as dicas aprendidas acima, você conseguirá iniciar seu negócio online rapidamente.

E se você já tem uma loja operando, agora que já sabe tudo sobre e-commerce, basta colocar em prática e realizar muitas vendas online.

Nosso primeiro convite é para que você conheça a Pluga e todas as integrações disponíveis para facilitar a gestão do seu e-commerce: 

Além disso, sugerimos o Guia prático de Dicas e Hacks para e-commerce; um completo manual para otimizar sua página e converter muito mais! 

E se quiser se inspirar com um caso real de e-commerce que utiliza as melhores estratégias para vender mais, leia o case de sucesso da OLX, o maior site de compra e venda do Brasil!

Financeiro

Como funciona antecipação de recebíveis de cartão de crédito: sempre é bom evitar

07/03/2018
antecipação de recebíveis cartão de crédito

Não se iluda, o que parece um benefício, na verdade, pode ser uma armadilha!

É claro que em caso de dificuldades de caixa, antecipar recebíveis é uma excelente alternativa a outras formas de crédito, mas – é claro! – tem seu preço e não é barato.

Nesta postagem, vamos passar algumas informações sobre antecipação de recebíveis, taxas e os procedimentos para isso.

Continue lendo…

API

Chegou quem você esperava, Vindi e Pluga juntas: usufrua dessa liberdade!

01/03/2018
vindi pagamentos

Liberdade, essa é a promessa da Vindi, uma plataforma de gestão de pagamentos que vai muito além do gateway.

Se definindo como “a API de pagamentos mais poderosa do Brasil”, este posicionamento já diz muito e tem tudo a ver com a liberdade de criação que a Vindi tanto valoriza e estimula seus clientes a usufruir.

Nesta postagem, você vai conhecer um pouco mais sobre a Vindi e como a integração com a Pluga poderá te libertar de várias tarefas chatas e repetitivas.

Continue lendo…

Financeiro

Não vai ser por falta de formas de pagamento no Mercado Pago que você vai deixar de receber

09/01/2018
formas de pagamento Mercado Pago

O filhote mais bem-sucedido do Mercado Livre, o Mercado Pago é um dos grandes meios de pagamento digital do Brasil e da América Latina, presente em diversos países, como Argentina, Chile, Colômbia e México, entre outros.

Com uma vocação para ajudar empreendedores a superar desafios – que com certeza veio de sua origem no Mercado Livre, onde tantos negócios começam e prosperam – as formas de pagamento do Mercado Pago são muito variadas e simples de operar por qualquer um que queira empreender.

Conheça mais sobre elas e como podem ajudar você a ter uma empresa de sucesso.

Continue lendo…

Financeiro

WooCommerce vs Shopify: o grátis pode sair caro?

19/12/2017
woocommerce vs shopify

Definitivamente não: tanto Shopify como WooCommerce têm suas vantagens e desvantagens, tudo é uma questão de saber qual deles é o mais indicado para o seu negócio.

É claro que a gratuidade do WooCommerce é um grande atrativo, mas dê uma olhada nos itens que comparamos e veja qual das plataformas para construção de lojas online vai ao encontro de suas necessidades.

Continue lendo…

Financeiro

Como escolher sistemas de pagamento online com 10 perguntas

15/12/2017
sistemas de pagamento online

Quem possui uma loja online no Brasil (seja um e-commerce, marketplace, SaaS ou algo do tipo) conta com uma grande vantagem: o mercado brasileiro oferece uma enorme variedade de sistemas de pagamento online.

Na verdade, o sistema de pagamentos brasileiro é um dos melhores do mundo. Assim, além de opções de empresas internacionais, como PayPal, Stripe e Mercado Pago, atores nacionais como PagSeguro, Moip, Pagar.me e Boleto Simples oferecem serviços excelentes, também.

A dica na hora de escolher sistemas de pagamento online é estudar o que cada um deles oferece e verificar o que seu negócio realmente precisa, evitando optar por um meio de pagamento online cheio de funcionalidades que você não utiliza, mas acaba pagando por elas.

Veja, a seguir, um questionário que pode te ajudar muito a definir qual sistema de pagamento online é o melhor para as características de seu negócio.

Continue lendo…

Financeiro

iugu pagamentos ou iugu, a plataforma para automação financeira?

14/12/2017
iugu pagamentos

Esta é uma das grandes vantagens de quem escolhe a Iugu como seu gateway de pagamentos, o posicionamento da empresa é muito mais abrangente, como detalhado em sua missão:

“Simplificar os processos financeiros dos nossos clientes e aumentar sua produtividade”

Portanto, iugu pagamentos é uma forma bastante resumida de se referir a uma empresa que pretende oferecer um serviço focado em diminuir as barreiras na implementação de pagamento digital em seu negócio.

Continue lendo…

Financeiro

Como usar Mercado Pago? Tranquilo: Tudo é muito simples e fácil de entender

12/12/2017
como usar mercado pago

Empresa que se originou a partir do Marketplace Mercado Livre, em 2014, uma das grandes vantagens desse gateway de pagamento é sua simplicidade: é muito fácil entender como usar mercado Pago.

As regras sobre as tarifas e taxas são objetivas, sem muitas exceções, e se um empresário optar por algumas das soluções mais práticas, como botões e pagamento, por exemplo, pode estar com sua loja operando na internet em pouquíssimo tempo.

Nessa postagem você vai descobrir como usar Mercado Pago em seu negócio pode ser bem mais fácil do que você imagina.

Continue lendo…