Educação corporativa: o que é, objetivos e como implantar?
Share on twitter
Share on linkedin
Share on facebook

Compreender o que é educação corporativa pode ser o diferencial entre ter um negócio escalável, sustentável e lucrativo – ou não conseguir alcançar isso. 

Você já percebeu que quando está aprendendo a fazer alguma coisa, demora muito mais para executar a tarefa? Quando chega alguém que é um expert na função, a pessoa consegue fazer em alguns minutos o que você demorou horas. 

Agora considere o poder disso dentro das empresas. Se você tem um time de profissionais capacitados, que sabem a melhor forma de fazer alguma coisa, você tem uma poderosa vantagem competitiva. 

Ou seja: ter um bom plano de educação corporativa é um investimento no aumento de produtividade da sua empresa. Mas, não só isso.

Entre os objetivos da educação corporativa estão benefícios como: 

  • Aperfeiçoamento das competências de cada colaborador;
  • Criação de um time de alta performance;
  • Aumento da competitividade no mercado;
  • Maior produtividade;
  • Melhora na qualidade dos produtos e serviços;
  • Geração de melhores índices de satisfação dos clientes;
  • Melhores resultados de inovação.

Todos esses aspectos são realmente importantes para uma empresa que deseja se manter crescendo, competindo com seus concorrentes e oferecendo valor aos clientes. 

A falta de educação corporativa, entretanto, pode gerar efeitos contrários a esses, levando sua empresa à estagnação, a perda de competitividade e a redução da qualidade do que é oferecido aos consumidores. 

Por isso, entender o que é educação corporativa e como criar o seu plano é fundamental.

Educação corporativa: o que é?

Educação corporativa é uma prática empresarial que tem foco na capacitação e treinamento estratégico de colaboradores, funcionários e gestores. 

Para a aplicação desse processo é fundamental a criação de um plano de educação que considere os objetivos da empresa e os alinhe à qualificação que será oferecida.

 

Estamos falando de uma prática que vai além da criação de treinamentos isolados. 

Ela se dedica ao desenvolvimento de um processo de aprendizagem, que visa desenvolver nos colaboradores as competências necessárias para que a organização atinja seus objetivos

Como implantar educação corporativa na empresa? Passo a passo

Entendido o que é educação corporativa, avançamos na busca de como colocá-la em prática. 

Como apresentamos acima, a educação corporativa inclui os treinamentos que a sua equipe irá receber, mas não só isso. 

Ela alinha as capacitações aos principais objetivos da sua empresa, para que esses treinamentos contribuam diretamente para alcançar as metas definidas.

O processo não precisa ser complexo. Na realidade, ele pode ser bastante simples se você seguir as nossas dicas. Continue lendo e aprenda como implantar a educação corporativa na empresa. 

1. Conheça os objetivos a longo prazo

Como dissemos até aqui, a identificação dos principais objetivos da sua empresa é fundamental para que você dê os primeiros passos rumo à educação corporativa. 

Para isso, use como fonte seu planejamento estratégico. Caso não tenha, essa é a hora de definir seus objetivos e indicadores.

Sem eles vai ser difícil direcionar as ações rumo ao que você deseja para a sua empresa. 

Uma das formas mais eficientes é a criação de OKRs, que estabelece objetivos e indicadores-chave para o negócio. Para saber mais sobre a metodologia e colocá-la em prática, leia o artigo:Metodologia OKR: usada no Google há mais de 15 anos, devem ter um bom motivo”.

2. Identifique os principais problemas e dificuldades da empresa 

Com os objetivos em mãos é importante observar os problemas que a empresa enfrenta, e como contorná-los para então alcançar os objetivos. 

Avalie indicadores de cada área, converse com sua equipe e observe como funcionam os processos de cada setor. 

Tudo isso é importante para que você identifique as lacunas que a educação corporativa pode preencher. Elas devem ser priorizadas na hora de organizar um cronograma de educação.

3. Crie um plano de ação 

É hora de organizar um plano de ação voltado para treinamento, desenvolvimento e educação corporativa. 

Liste as prioridades, identificadas na etapa anterior, e monte um cronograma de execução. 

Depois, lembre-se de agregar outras qualificações que também sejam relevantes para o negócio, mas que não são tão emergenciais. 

Afinal, um projeto de educação empresarial deve ser contínuo.

4. Defina a metodologia e os conteúdos 

Ainda dentro do plano de ação descreva:

  • O conteúdo que será abordado para solucionar cada demanda;
  • O objetivo de cada treinamento;
  • Quando cada capacitação será realizada;
  • Qual conteúdo deverá ser abordado. 

É importante definir a metodologia de compartilhamento de conhecimento. É possível, por exemplo, que a sua empresa opte por pagar um curso externo para um time de colaboradores ou realizar um treinamento interno

Também é necessário estabelecer quem será o responsável por ministrar o curso, palestra ou treinamento. Será alguém de dentro da empresa? Ou um profissional contratado? 

Por último, defina a plataforma pela qual o conteúdo será compartilhado e o método de ensino. Algumas opções são:  

  • Aulas presenciais dentro da empresa;
  • E-learning, 
  • Microlearning;
  • Gamificação;
  • Vídeos;
  • Simuladores;
  • Infográficos;
  • E-books.

5. Organize a logística

Para que os objetivos da educação corporativa sejam alcançados, a empresa precisa ter uma organização logística eficiente.

Uma opção é a contratação de empresas especializadas na aplicação de cursos e treinamentos, bem como na organização de capacitações.

Esse tipo de investimento facilita o trabalho dos gestores, reduzindo o tempo que eles precisam dedicar à organização dessas atividades.

Uma outra opção é direcionar esse tipo de função para o setor de RH do negócio.

Caso a empresa seja pequena e tenha recursos reduzidos, a própria gestão pode criar esse plano de educação corporativa. 

Afinal, uma empresa com menos recursos, precisa aproveitar ao máximo a capacidade de cada um dos profissionais envolvidos no trabalho.

O importante é organizar as etapas de treinamento, desenvolvimento e educação corporativa.

Essa é a última etapa do planejamento, agora é hora de colocar em prática o plano e medir sua eficiência. 

6. Analise os resultados

Como todo processo empresarial, o plano de educação corporativa precisa ter seus resultados coletados, medidos e avaliados. 

Aplique pesquisas sobre a satisfação dos colaboradores em cada treinamento.

Observe os indicadores de cada área e avalie a melhoria dos processos a partir da capacitação oferecida. 

Afinal, a falha que foi identificada foi solucionada? Os resultados estão melhores? A produtividade aumentou? 

Observe também se os indicadores estratégicos da sua empresa melhoraram após a execução do treinamento. 

Isso vai ser importante para identificar a efetividade das práticas de educação corporativa e avaliar o que ainda precisa ser feito.

Indicadores são parte de uma gestão inteligente do negócio e não devem ser esquecidos jamais. 

Leia também: O que é Business Intelligence e como isso impacta diretamente seus resultados

Em suma, para implantar educação corporativa na empresa acompanhe as seguintes etapas: 

  1. Conheça os objetivos a longo prazo;
  2. Identifique os principais problemas e dificuldades da empresa ;
  3. Crie um plano de ação ;
  4. Defina a metodologia e os conteúdos ;
  5. Organize a logística;
  6. Analise os resultados.

Quais os erros que você deve evitar ao investir em educação corporativa?

Um erro de planejamento na educação corporativa pode gerar desperdícios de recursos como tempo e dinheiro. Por isso, é importante ter atenção para não cair em algumas armadilhas comuns. 

A seguir, listamos os principais erros cometidos por quem organiza as práticas da educação empresarial.

Falta de alinhamento dos treinamentos com os objetivos da empresa

Essa é uma das falhas mais comuns quando o assunto é educação corporativa. 

Evite investir o dinheiro da organização e o tempo de seus colaboradores com algo que não vai contribuir para que os setores da empresa alcancem seus resultados. 

Além de não ajudar no sucesso da empresa, sendo uma perda gigante de tempo e dinheiro, esse tipo de capacitação geralmente causa desmotivação entre quem participa

Afinal, todo mundo já vai para o treinamento sabendo que aquele conteúdo não contribui para o dia a dia de trabalho.

Não definir um objetivo claro para cada capacitação

Quando você define um objetivo para uma ação, coloca muito mais valor nela. 

Se o seu objetivo com um treinamento sobre Inbound Sales é melhorar as taxas de conversão dos leads, que chegam a sua empresa por esse método, deixe isso claro para quem vai oferecer o curso e para quem vai participar.

Quando o objetivo é definido, as pessoas enxergam valor na atividade. Assim, ela não será percebida como apenas o cumprimento de uma agenda de capacitação, mas sim como a oportunidade de melhorar os resultados individuais e gerais dos colaboradores e do setor. 

Os objetivos ajudam no engajamento, mas também é fundamental para a definição do que deve ser feito, de qual conteúdo deve ser priorizado e muito mais. 

Não considerar os indicadores atuais da empresa na seleção de tópicos

Os indicadores vão ajudar a priorizar o que deve ser otimizado dentro dos processos e departamentos.

Observe quais indicadores estão abaixo das metas e o que é mais urgente para ser solucionado. 

A partir desses dados, observe quais treinamentos podem ser úteis para solucionar os gargalos que podem estar acontecendo. 

Dessa forma, você começa o projeto de educação corporativa apagando incêndios e solucionando o que é mais emergencial e o que está causando mais problemas para o negócio.

Não conversar com a equipe 

É a sua equipe que lida diariamente com os processos que você está querendo melhorar. 

Por isso, é provável que seu time saiba apontar quais são as maiores dificuldades que encontraram, por exemplo, para bater as metas ou para aumentar a produção. 

Não considerar a opinião deles pode fazer você investir em treinamentos que não vão resolver o problema de raíz e também vai reduzir o engajamento dos profissionais em relação a capacitação oferecida.

Investir em soluções que não motivam e engajam

É provável que você já tenha passado por um treinamento exaustivo e chato. Daqueles que desde a voz do palestrante até o conteúdo te davam sono. 

Esse é um dos piores erros da aplicação da estratégia de educação corporativa. Afinal, os profissionais não vão absorver o que está sendo compartilhado, mesmo que o tema seja relevante. 

Busque por opções como o uso de jogos (gamificação do treinamento) e vídeos.

Uma alternativa é o modelo de microlearning, que separa o treinamento em pequenas cápsulas de conteúdo, ajudando a aproveitar o período de concentração dos participantes. 

Cada vez mais reduzimos nossa capacidade de concentração durante muito tempo. Por isso, apresentações menores podem surtir muito mais efeito do que muitas horas de treinamento seguidas. 

Não priorizar educação corporativa no dia a dia do negócio

A educação corporativa será uma prioridade da sua empresa? Ou sempre que algum outro compromisso profissional aparecer os treinamentos serão adiados? Essa é uma pergunta dura, mas necessária. 

Seus colaboradores só vão enxergar os treinamentos como algo a ser levado realmente a sério, se os gestores e a empresa como um todo fizerem o mesmo. 

Sem isso, as apresentações e encontros de conteúdo nunca serão considerados tão relevantes. 

É importante que você se lembre das razões para investir na educação corporativa. Afinal, é ela que vai permitir que a sua empresa produza mais e melhor, a curto e a longo prazo. 

E aí? Isso vale ser priorizado ou não?

Gestão do conhecimento para preservação e integração do conhecimento

Todo o investimento em aprendizado deve ser aproveitado ao máximo e isso, claro, envolve a capacidade de retenção e uso desses conteúdos.

Para isso, a gestão do conhecimento se torna indispensável dentro das empresas.  

Mas atenção: quando falamos sobre conhecimento não estamos nos referindo apenas aos conteúdos compartilhados “em sala de aula”, mas tudo o que gera informação capaz de fazer sua equipe aprender e evoluir. 

Isso inclui os indicadores que são avaliados em cada área, os bancos de dados, as bases de conhecimento e todo o resto. 

Para que todo o conhecimento fique armazenado, organizado e seja de fácil acesso, sua empresa pode investir, por exemplo, na integração entre plataformas. 

Assim, o dado que é gerado em um local, pode complementar a informação que é gerada em outro lugar. Por exemplo, informações de um CRM de vendas podem ser integradas à base de conhecimento do setor de atendimento, gerando um conjunto valioso sobre as diferentes etapas da jornada de compra. Para isso você pode integrar as ferramentas que a sua empresa já usa hoje.

A Pluga desenvolve interações incríveis entre as ferramentas que as empresas mais usam, sem que você precise saber sobre programação ou desenvolvimento. 

Acesse nosso site, conheça as ferramentas que podemos integrar para te ajudar a gerir um negócio escalável, por meio da integração do conhecimento.

Esse artigo foi útil para você? 😎
Média: 5 / 5

Você também pode gostar

Os diferentes tipos de gatilhos mentais estimulam a tomada de decisão de potenciais clientes. Empresas de todos os setores podem usar esse recurso ao […]